Cómo citar
Soares da Silva , A. (2013). Metas de la acción colectiva y voluntad de actuar de manera colectiva en la producción de la consciencia política de agricultores acampados del MST - Brasil. Acta Colombiana de Psicología, 16(1), 67-79. Recuperado a partir de https://actacolombianapsicologia.ucatolica.edu.co/article/view/249

Resumen

Este artículo pretende analizar cómo las metas de la acción colectiva y la voluntad de actuar colectivamente impactan en el proceso de formación de la conciencia política y en la participación política de los campesinos y campesinas sin tierra. En este estudio se trabajará con datos cualitativos derivados de entrevistas semiestructuradas con cinco familias de campesinos sin tierra acampados en Pontal do Paranapanema, región occidental del estado de Sao Paulo - Brasil. El propósito de este trabajo es profundizar en la comprensión de los procesos de ordenamiento y producción de la conciencia desde las dimensiones destacadas.

Licencia

Derechos de autor 2013 Alessandro Soares da Silva

Creative Commons License
Esta obra está bajo licencia internacional Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0.

Citas

Andrade, M. R. O. (1998). A Formação da Consciência dos Jovens no Contexto dos Assentamentos Rurais do Movimento Sem Terra. Tese de Doutorado em Educação não Publicada. Universidade Estadual de Campina, Campinas, SP, Brasil.

Ansara, S. (2001). Memória coletiva: um estudo psicopolítico de uma luta operária em São Paulo. Psicologia Política, 1 (2), 29-52.

Ansara, S. (2008). Memória Política, Ditadura Militar e Repressão no Brasil. Curitiba, PR, Brasil: Juruá. Brasil. (1850, 18 de setembro). Lei nº 601 (Lei de Terras).

Acessado em 22/04/2012 Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L0601-1850.htm

Brasil. (1854, 30 de janeiro). Decreto Imperial nº 1318. Acessado em 22/04/2012 Disponível em: http://www.itesp.sp.gov.br/br/info/legislacao/decreto_1318.aspx

Brasil. (1964, 30 de novembro). Lei nº 4.504. Estatuto da Terra. Acessado em 21/04/2012 Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L4504.htm

Cantril, Hadley. (1969). Psicología de los Movimientos Sociales. Madri, Espanha: Euroamerica. (Originalmente publicado em 1940).

Fernandes, B. M. (1996). MST: formação e territorialização em São Paulo. São Paulo, SP, Brasil: HUCITEC.

Fernandes, B. M. (2000). A Formação do MST no Brasil. Petrópolis, RJ, Brasil: Vozes.

Fernandes, B. M. (2008). O MST e as Reformas Agrárias ndo Brasil. Boletim DATALUTA, Artigo do mês, dezembro, 1-10. Acessado em 29/04/2013. Disponível em: http://docs.fct.unesp.br/nera/artigodomes/12artigodomes_2008.pdf

Heller, A. (1998). La Revolución de la Vida Cotidiana. Madri, Espanha: Península.

IBGE. (2010). Censo 2010. Acessado em 29/04/2013. Disponível em: http://censo2010.ibge.gov.br/

Klandermans, B. (2002). The demand and supply of participation: social psychological correlates of participation in a social movement. Psicologia Política, 2(3), 83-114.

Sandoval, S. A. M. (1989). Considerações sobre aspectos micro-sociais na análise dos movimentos sociais. Revista Psicologia e Sociedade, nº 7, Set.

Sandoval, S. A. M. (1994). Algumas reflexões sobre cidadania e formação de consciência política no Brasil. Em Spink, M. J. (Org.), A cidadania em construção: uma reflexão transdisciplinar. 59-74. São Paulo, SP, Brasil: Cortez.

Sandoval, S. A. M. (2001). The crisis of the brazilian labor movement and the emergence of alternative forms as working-class contention in the 1990s. Psicologia Política 1(1), 173-195.

Silva, A. S. (2001). Consciência e Participação Política: Uma abordagem psicopolítica. Interações, 6(12), 69-90.

Silva, A. S. (2002a). Acampados no ‘Carlos Mariguela’: Um estudo sobre a formação da consciência política entre famílias acampadas no Pontal do Paranapanema – SP. Dissertação de Mestrado em Psicologia Social não Publicada. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Silva, A. S. (2002b). O Lugar das Crenças e Valores Societais na Formação da Conciência Política entre trabalhadores Rurais Sem-Terra. Interações, 7(14), 69-90.

Silva. A. S. (2003). Consciência Política, Identidade Coletiva, Família e MST nos Estudos Psicossociais. Psicologia Política. 3(5), 55-88.

Silva. A. S. (2005). Los Sentimientos de Injusticia y la Voluntad de Actuar Colectivamente en la Construcción de la Conciencia Política de Trabajadores (as) Rurales Sin Tierra. Resonancias. 1(2).

Silva. A. S. (2007). A Identificação de Adversários, de Sentimentos Antagônicos e de. (In)Eficácia Política na formação da Consciência Política no MST. Paulista.
Estudos e pesquisa em psicologia, 7(1), 105-126. Acessado em 29/04/2013. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1808-42812007000100010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Silva. A. S. (2009). As Contribuições dos Movimentos Sociais para a Desprivatização da Ética na Perspectiva da Psicologia Política. En Sarti, F. S. & Santos, G. Ap. Ética, Pesquisa e Políticas Públicas. São Paulo, SP, Brasil: Rubio, 37-58.

Silva. A. S. (2010). O caminho da terra: revisitando a história do MST no Pontal do Paranapanema - SP - desde uma ótica psicopolítica. Psicol. estud., 15(1), 137-149. Acessado em 28/04/2013. Disponível em http://dx.doi.org/10.1590/S1413-73722010000100015

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.
Sistema OJS 3 - Metabiblioteca |